Progressive Web Apps: O que é e como muda soluções mobile



Um dos assuntos mais comentados nas últimas edições do o Google I/O, assim como em outros eventos focados em tecnologia, foi o Progressive Web Apps (PWA). O tema está em pauta por acreditar-se que se trata de uma nova maneira de oferecer experiência aos usuários na web a partir de aparelhos mobile. Já que o PWA cria um novo nível de qualidade para o acesso a sites a partir de celulares e tablets, por exemplo.

O número de acessos nestes dispositivos só cresce, o que faz pensar em usabilidade necessária.

Por isso, a T2S – especialista em soluções de software para o setor portuário – vai te ajudar a entender o que é o Progressive Web Apps na prática e porque isso pode potencializar sua solução mobile.

O que é Progressive Web Apps

Primeiramente vamos a uma breve explicação. Progressive web apps são experiências que unem o melhor da web e dos aplicativos, ou seja, você não terá um aplicativo nativo, mas sim um site que tem suas funcionalidades.

Isso significa que ao acessar o seu site, de qualquer browser, o usuário encontrará um site responsivo, seguro, rápido e intuitivo. Além de ele fazê-lo se sentir em um aplicativo, o PWA também é acessível mesmo em redes instáveis (ou até offline) e é engajável, isso é, tem a possibilidade de enviar notificações. Também são consideradas questões de design e outros fatores.

São bons exemplos de PWA:
  • The Washington Post
  • Forbes
  • George.com
Em resumo, o usuário irá desfrutar de todos os benefícios de um aplicativo. Mas, não vai precisar instalar nada no celular e utilizar memória, além de poder compartilhar a experiência com maior facilidade (através da URL).

Por que usar o Progressive Web Apps?

Agora que você já entendeu o que é Progressive Web Apps, provavelmente, está se perguntando porque o tema é importante e deve ser um futuro investimento. Para entender isso basta pensar no comportamento do usuário.

Em 2007, quando apresentou o iPhone ao mundo, a ideia de Steve Jobs era ter aplicações web e não aplicativos nativos (que necessitam de download). Mas, em 2008 o cenário mudou com o lançamento da App Store e boom dos aplicativos. Então, passamos a ter aplicativos para basicamente tudo. Porém o cenário voltou a mudar e, de acordo com pesquisas do setor, atualmente a cada ano o número de downloads de apps diminui em 20%.

Só para exemplificar, são milhões de aplicativos no Google Play Store. Mas, poucos conseguem notoriedade. Já que acredita-se que a maior parte dos usuários utiliza em média apenas 5 apps.

O que não significa que aplicativos não são importantes. Mas, que não são necessários para todas as empresas e em alguns casos podem ser um investimento com pouco retorno – principalmente no caso de usos muito específicos. Neste sentido, os PWA vem solucionar o problema. Afinal, seu conteúdo terá  a mesma navegabilidade sem a necessidade da criação de algo totalmente novo. Estamos falando de uma versão do site para aplicações mobile.

Como PWA muda soluções mobile

O acesso fica muito mais fácil, já que não é necessário passar por diversas etapas que fazem parte da busca e instalação de um aplicativo. Com isso, a sua retenção de público será maior – isso porque ao acessar uma URL o usuário já está no seu site. E, do mesmo modo, o compartilhamento é muito mais simples e rápido.

Com uma taxa de retenção maior, você conseguirá o que o Google deseja: manter o usuário no seu conteúdo o maior tempo possível. E isso pode ajudar no score de SEO, por exemplo.

Mas, essa não é a única vantagem do PWA. Também é possível aumentar o engajamento e as conversões, e as atualizações que podem ser necessárias são mais fáceis de ser aplicadas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conteinerização de grãos: uma solução viável para portos brasileiros

Fique atento às mudanças do ADE 02

5 Tecnologias que aceleram os processos logísticos