Confira as novidades apresentadas na 18ª edição da TOC Americas 2018

A TOC Americas, um dos principais eventos de portos e transporte do mundo, aconteceu entre os dias 13 e 15 de novembro no Panamá e a T2S - empresa especializada em soluções de software para o setor portuário - participou de mais uma edição. Representada pelos diretores Ricardo Pupo Larguesa e Rodrigo Lopes Salgado, por meio de uma conferência técnica internacional, estavam presentes para discutir os principais problemas do setor e novidades tecnológicas.

Perspectivas econômicas e comerciais, automatização, tecnologia limpa e os desafios portuários, foram alguns dos temas abordados durante o evento que contou com a participação de grandes nomes do setor.

Primeiro dia

No primeiro painel do evento, empresas como Stop Connections, Camco Technologies, Liebherr, TBA Group, Advent Intermodal Solutions LLC e Portel Logistic Technologies trataram de assuntos como a utilização de software para gerenciamento da manutenção eficiente de equipamentos; como usar automação por OCR no gate para conseguir mais confiabilidade do uso dos dados dentro do terminal; e o foco em integrações entre os sistemas das empresas através da comunicação por API, ocasionando eficiência e automação desses processos.

Já no segundo painel, empresas como Visy, Konecranes, Kalmar, Siemens, ABB, entre outras, apresentaram suas soluções, mas o tema de maior relevância foi em torno da necessidade de padronização em casos de automação, semi ou total, de equipamentos. O terminal fica dependente de uma única marca para evitar conflitos. Mesmo com o assunto abordado, a discussão se tornou inconclusiva ao final da sessão.

No terceiro e último painel, o Panamá, em parceria com o governo holandês, através do desenvolvimento de políticas por semelhanças logísticas, apresentaram planos de expansão, onde os representantes da Holanda, sendo o segundo maior exportador de produtos alimentícios do país, afirmaram que o Panamá tem grande potencial devido a sua localização estratégica.

Segundo dia

No segundo dia do evento, os painéis foram apresentados por meio de palestras e seminários sobre operações de granel.
No primeiro painel foi apontado os desafios de planejar e projetar o terminal moderno, apresentado pela Moffat & Nichol de maneira comercial. Comentaram sobre alguns cases de sistemas de emulação e simulação de operações do terminal para formatar documentos de apoio a decisão estratégica.

Em seguida, o segundo painel teve como pauta os serviços e manutenções inteligentes, que foi divida em 3 apresentações e contou com a moderação do Laurence Jones, Diretor global de avaliação de riscos da TT Club.

A primeira apresentação foi realizada por Ryan Hertel, Gerente global da Phoenix Terminal Solutions, que fez rápidos comentários a respeito de produtos fornecidos pela Phoenix para iluminação das operações do terminal, principalmente, voltadas para operações do pátio;

Posteriormente, Lars Meurling, Vice presidente da Bromma, falou a respeito da durabilidade estrutural e citou uma pesquisa realizada por eles a respeito do clamp - peça utilizada para conectar contêineres. Este estudo mostrou que o produto da Bromma tem durabilidade 4 vezes maior que o concorrente e o resultado foram 800 contra 200 movimentos.

Para finalizar, o segundo painel com a terceira apresentação, Jonathan Hseih, Vice presidente e Tais Shioratsubaki, Analista de infraestrutura da Liftech Consultants, falaram a respeito de um estudo de caso feito em um terminal (que não foi citado) que utiliza um portainer com remendos e "gambiarras" e a forma como deveria ter sido feito, além de explicar como a Liftech atua para evitar estes problemas.

Por fim, o terceiro painel foi dividido em 3 apresentações, sendo a primeira apresentada pelo Christian Augustin, Chefe de vendas e desenvolvedor de negócios da Yardeye, que mencionou alguns estudos de caso e projetos para otimização de operações de granel. 

A segunda foi apresentada pelo Garry Pinder, Diretor geral da Intermodal Solutions Group - ISG, onde o tema abordado foram os desafios de converter um terminal de contêiner em um terminal de granel. A empresa já implantou seu sistema de operação em mais de 20 terminais em diferentes países, onde a proposta é adaptar os equipamentos para conteinerização do granel, o que acarreta a diminuição da produtividade, mas um ganho em questões ambientais, uma vez que, o granel quando transportado em contêiner não despeja resídios evitando a poluição do solo. 

Se aplicado em um dos terminais do Porto de Santos, como exemplo o Ecoporto, o terminal seria beneficiado, já que hoje ele não possuí operação de navio ativas e poderia utilizar o espaço para transporte de granel sólido conteinerizado, evitando a poluição pelo levantamento de poeira gerada na movimentação da carga, problema que afeta a população que mora nas proximidades.

E na terceira e última apresentação, Guilherme Peixoto, Diretor Regional da TBA Group, falou sobre os projetos de simulação e emulação de movimentação de carga.

Terceiro Dia

No último dia do evento, o primeiro seminário abordou as operações inteligentes da nova geração e teve como moderador o Rachael White, Diretor de conteúdo da TOC Events Worldwide. Contou com a participação de Peter Charron, Engenheiro de Suporte da Navis; Martin Bardi, Gestor de vendas globais da XVELA; Zhenguo Wang, Vice Gerente Geral da ZPMC; e Thomas Rucker, Presidente da Tideworks Technology, que não compareceu, mas foi subsistido por um dos representantes da Tradelands, que é uma empresa que oferece uma solução de comunicação entre os players do setor portuário. 

Os representantes das demais empresas fizeram apresentações genéricas em relação as soluções e atuação de suas respectivas empresas, mas não apresentaram nada de inovador que não tenha sido comentado até o momento.

Em seguida, o último seminário foi sobre tecnologia limpa e contou com a moderação do Tony Simkus, Presidente da Sarandipity.

Ariel Cabrera, Gerente de desenvolvimento de mercado da Conductix-Wampfler, falou sobre uma nova tecnologia utilizada nos RTGs que economiza combustível; Na sequencia, Erika Barbosa, Vice presidente LA da Kalmar, falou sobre a preocupação com o meio ambiente na linha nova de produtos elétricos que estão para sair em 2019; Para finalizar, Haydi Galvez, Gestor de negócios da Ports ABB, falou sobre o Grid que combina diversas fontes de energia que podem ser utilizadas em terminais.

Considerações sobre o evento

Em resumo, um dos assuntos abordados seguiu a mesma linha do que foi discutido anteriormente na TOC Europe 2018, a importância de um integrador de software que tenha conhecimento dos processos de negócio e que seja especializado no setor portuário. Outro ponto relevante entre as discussões foi a possibilidade da adaptação de terminais de contêiner para movimentação de cargas em granel conteinerizados, e os benefícios ao meio ambiente que essa solução resultaria.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fique atento às mudanças do ADE 02

Port Community Systems será implementado no Brasil

Indústria 4.0: entenda o conceito e as oportunidades que ela promove