Como automatizar a DU-E

Imagem
Automatização garante agilidade e evita inconsistências   A DU-E (Declaração Única de Exportação) foi criada para trazer melhorias à atual legislação brasileira ao desburocratizar o processo logístico das exportações. Atender a essa exigência demanda muito tempo e atenção dos terminais, que buscam automatizar o processo. Essa automatização é possível uma vez que o governo já disponibiliza toda a documentação e estrutura necessárias para que as empresas desenvolvam a integração com o Siscomex . As empresas que buscam por essa automatização, podem contar com o serviço da T2S . Com ele é possível automatizar as seguintes parte dos processos:  Recepção por Contêiner Recepção por Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Consulta de Contêineres Consulta DU-E, RUC e RUC Master Por que automatizar a DU-E A DU-E exige o preenchimento de 36 campos e algumas informações da Nota Fiscal de Exportação (NF-E). Em geral, exportações com poucos itens podem ser feitas com facilidade, porém, em processos com mais

IoT no cenário logístico e suas principais mudanças


A Internet das coisas (IoT) está mudando drasticamente o funcionamento de vários setores de trabalho. E, claro, a logística está na lista dos “afetados” pelo surgimento e fortalecimento dessa metodologia. Afinal, esse é um setor que busca atualização constante e a logística 4.0 já é uma realidade no mercado.

Só para ilustrar o que estamos falando, segundo dados divulgados no estudo O Mercado industrial brasileiro de Internet das Coisas, Cenário para 2021, o mercado de IoT deve alcançar cerca de R$ 10 bilhões. Também existem dados que indicam que essa tecnologia deve impulsionar o setor de logística em aproximadamente R$ 6 trilhões. 

Já deu para perceber que é preciso ficar de olho na IoT e, mais do que isso, coloca-la para funcionar na sua rotina, certo? Então continue lendo e entenda com o blog Tecnologia Portuária do que estamos falando, quais são as mudanças promovidas na logística e também em quais tecnologias investir. 

O que é IoT? 

Antes de mais nada é necessário entender exatamente o que significa IoT. Já que esse é um conceito novo e, por isso, pode ser tema de dúvidas. Em um breve resumo, essa é a tecnologia que conecta itens do cotidiano à internet. A ideia é que, cada vez mais, os mundos físico e digital sejam um só e, consecutivamente, diversas atividades sejam mais rápidas do que jamais imaginamos. 

Principais mudanças proporcionadas pela IoT na logística 

Deu para entender o que é a internet das coisas? Então vamos seguir e falar sobre os impactos dessa tecnologia na sua realidade. Podemos dizer que em operações logísticas isso significa aperfeiçoar o monitoramento em tempo real de processos e atividades. Além da possibilidade de gerenciamento feito de forma mais simples, rastreamento de mercadorias, diminuição de falhas e uma série de outras ações. 

Algumas das possibilidades de uso da internet das coisas na logística são: 
  • Monitoramento e rastreio de cargas através de aplicações mobile; 
  • Gestão de frotas; 
  • Agendamento de manutenções preventivas e periódicas; 
  • Gestão de estoque com sistema RFID. 
Com tudo isso, além de garantir maior agilidade você ainda consegue conquistar a confiança dos seus clientes :) 

Em quais tecnologias investir 

Se acaso você atue no setor portuário e não sabe exatamente como investir em IoT, entre em contato com a T2S. A empresa atua há 15 anos na solução de software exclusiva para esse setor, ou seja, tem a expertise necessária para te ajudar neste momento de transição.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Port Community Systems será implementado no Brasil

Fique atento às mudanças do ADE 02

Indústria 4.0: entenda o conceito e as oportunidades que ela promove