Como lidar com a alta demanda no mercado de TI?

Imagem
 Diretor da T2S comenta problemática da demanda por profissionais de TI A pandemia acelerou a transformação digital nas empresas. Com isso, a demanda por profissionais de Tecnologia da Informação (TI) aumentou, e as companhias passaram a lidar com a falta de mão de obra qualificada. De acordo com a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais (Brasscom) , em 2019, o número de alunos formados era de 46 mil, enquanto que a demanda estimada para o período de 2019 a 2024 chegaria a aproximadamente 70 mil. Com isso, o estudo estimava um déficit potencial anual de 24 mil profissionais de TI. No entanto, somente para este ano, a expectativa foi de 56 mil novas oportunidades de trabalho criadas, enquanto que em 2020, já considerando a pandemia, a expectativa era de 43 mil novas vagas sem preenchimento. “Esse efeito é como aquela máxima de o mercado se regular entre a oferta e a procura. A demanda de novas vagas, sempre foi maior que a oferta

Armazenamento de contêineres de alta baía: Dubai será o primeiro



Graças a uma parceria entre a DP World e a empresa britânica de engenharia industrial SMS, Dubai terá o primeiro sistema de armazenamento de contêineres de alta baía do mundo (no Jebel Ali, Terminal 4). De acordo com o projeto, que promete revolucionar o processamento de contentores, a entrega deverá ocorrer a tempo do 2020 World Expo, que acontece na maior cidade dos Emirados Árabes.

Apelidado de High Bay Storage, o sistema utiliza um conceito similar ao de uma estante/ prateleira para a acomodação dos contêineres. Primeiramente a ideia era acomodar bobinas de metal, com o bom resultado do projeto inicial o conceito será transferido para a indústria portuária. 

Armazenamento de contêineres de alta baía 

Em resumo, o modo tradicional (empilhar contêineres uns em cima dos outros) sai de cena no porto de Jebel Ali, em seu lugar cada contêiner passará a ser armazenado em um compartimento de rack individual. 

A estrutura terá 11 andares e aumentará a capacidade de um terminal convencional de contêineres em até 200%. Afinal, os contêineres poderão ser acessados sem a necessidade de mexer nos demais, o que permite usar 100% do pátio. Também estão confirmados ganhos em velocidade, eficiência energética, segurança e uma grande redução nos custos. 


De acordo com Burkhard Dahmen, CEO do SMS Group, a AMOVA (empresa subsidiária) otimizou essa tecnologia para a indústria de metais ao longo de várias décadas. 
“A aplicação para terminais de contêineres é um resultado direto de nossa estratégia New Horizon, na qual a SMS transfere tecnologia do setor metalúrgico para outras indústrias”, explica. 
Em resumo, com a implementação da tecnologia será possível utilizar áreas espaços com mais eficiência. Mas, a notícia não tão boa é que não há estimativa de quando o Armazenamento de contêineres de alta baía será importado para outros portos no mundo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Port Community Systems será implementado no Brasil

Fique atento às mudanças do ADE 02

Atualização do Navis N4: o que fazer?