Indústria Portuária: o que muda em 2020

Novidades prometem melhorias de eficiência e resultados



Com a virada do ano batendo à porta as empresas do setor portuário ficam atentas às mudanças, afinal, as leis, tendências e procedimentos novos impactam diretamente no quanto precisarão investir e quais resultados conseguirão alcançar.

Pensando nisso, viemos relembrar notícias importantes de 2019 que com certeza irão afetar o setor e as suas operações em 2020. Acompanhe:


ADE 02

Com certeza uma das mais avisadas e aguardadas mudanças.

Desde março a Coana vem anunciando que pretende modificar a maneira como os recintos devem disponibilizar as consultas sobre suas movimentações.

Na última atualização a RFB anunciou que já está desenvolvendo a API “Módulo Recinto”  e que tem previsão de concluir 11 eventos iniciais até março de 2020.

Se você ainda não se preparou para atender ao Ato, a hora de pedir sua proposta é agora.


LGPD

Essa é outra novidade que não dá para fugir. No segundo semestre do ano o governo anunciou que até agosto de 2020 todas as empresas devem modificar sua maneira de operar para obter o consentimento explícito de seus clientes e garantir a proteção destes dados quando forem utilizados.

Sendo assim, se você, por exemplo, ainda não adaptou seus sistemas para a manutenção dos dados de usuários ou ainda não conta com estruturas de registro de consentimento, ainda dá tempo de se organizar para atender ao prazo.


Antaq SDN

A Antaq também anunciou neste segundo semestre o início do cadastramento de usuários no Módulo “Apoio Portuário” do Sistema de Desempenho de Navegação.

Ele recebe pela internet informações técnicas e operacionais sobre as frotas das empresas brasileiras de navegação. E, já que o envio é necessário, por que não fazê-lo de forma automatizada e garantir a consistência dos dados?


Portos Eco Friendly

Uma tendência bastante fomentada durante o ano foi o desenvolvimento de operações mais sustentáveis, o que envolve a criação de produtos eco friendly e o uso da tecnologia em substituição a alguns procedimentos.

Um bom exemplo é o Porto Sem Papel (PSP), criado para facilitar a análise e a liberação de mercadorias nos portos brasileiros. Por meio do sistema, vários formulários em papel são convertidos em um único documento eletrônico, o Documento Único Virtual (DUV).


Leia também: TOC Americas 2019: confira as novidades apresentadas na 19ª edição


Porto 4.0

Mais um assunto bastante comentado durante 2019 foi sobre o futuro dos portos e a implementação de tecnologias da Indústria 4.0.

Automatização, Big Data, machine learning, inteligência artificial e IoT (internet das coisas) foram alguns dos termos que ouvimos.

Neste cenário, a leitura do que acontece no porto é automatizada, o carregamento é por meio de sensores de peso, a liberação de caminhões é por meio de leitores óticos, navios são abastecidos por energia solar, por exemplo.

Portos no mundo e no Brasil já iniciaram a adaptação para as novas tecnologias e pretendem ampliar seus investimentos para atender a este futuro cada vez mais tecnológico e eficiente.


Leia também: Dados desorganizados: como atrapalham estratégias de negócios no setor portuário


Tempo de inovar

Apesar das obrigações recorrentes no setor, mais importante, é que não é necessário o surgimento de leis para que sua empresa esteja a frente da concorrência e se destaque no mercado.

São diversas as possibilidades para inovar com tecnologias que aumentam a eficiência das suas operações e potencializam seus resultados.

A T2S atua no mercado de soluções tecnológicas e inovação há quase duas décadas e desde então já alcançou excelentes marcos e nossos clientes se tornaram diversos cases de sucesso.

Esperamos que em 2020 você possa fazer parte dessa lista!


Nos vemos ano que vem?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fique atento às mudanças do ADE 02

Port Community Systems será implementado no Brasil

Indústria 4.0: entenda o conceito e as oportunidades que ela promove