Como automatizar a DU-E

Imagem
Automatização garante agilidade e evita inconsistências   A DU-E (Declaração Única de Exportação) foi criada para trazer melhorias à atual legislação brasileira ao desburocratizar o processo logístico das exportações. Atender a essa exigência demanda muito tempo e atenção dos terminais, que buscam automatizar o processo. Essa automatização é possível uma vez que o governo já disponibiliza toda a documentação e estrutura necessárias para que as empresas desenvolvam a integração com o Siscomex . As empresas que buscam por essa automatização, podem contar com o serviço da T2S . Com ele é possível automatizar as seguintes parte dos processos:  Recepção por Contêiner Recepção por Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Consulta de Contêineres Consulta DU-E, RUC e RUC Master Por que automatizar a DU-E A DU-E exige o preenchimento de 36 campos e algumas informações da Nota Fiscal de Exportação (NF-E). Em geral, exportações com poucos itens podem ser feitas com facilidade, porém, em processos com mais

Publicado ambiente de treinamento da API-Recintos (novo ADE 02)

A Receita Federal Brasileira comunicou na segunda-feira (02) que disponibilizou o ambiente de treinamento da API-Recintos para possibilitar os testes de integração entre os sistemas dos recintos e o Portal Único de Comércio Exterior.


Os testes

De acordo com a publicação, os testes incluem, por exemplo: autenticação, validações de tipos de dados e domínios, algumas regras de negócio, reconhecimento e implementação das estruturas de dados que devem ser enviadas à API.

A notícia ressalta que o ambiente de treinamento não foi projetado para suportar testes de performance, como receber centenas de eventos em menos de 1 minuto.

Por isso, para garantir o bom uso do ambiente de treinamento e garantir a disponibilidade da API-Recintos para todos os usuário, os recintos que efetuarem tentativas massivas de envios poderão ter limitação temporária de acesso à API.


Leia mais: Divulgada a data para implantação da API Módulo-Recintos


Relembre a Timeline

O projeto iniciou no segundo semestre de 2019 com o objetivo de substituir a atual maneira que os Recintos disponibilizam os registros de movimentações, ao permitir, por meio de uma API, que o recinto envie os registros de eventos diretamente ao Portal Único de Comércio Exterior.

Conforme as recentes atualizações da Coana, o ambiente de produção será liberado em julho (2021) e permitirá o envio de maneira mais prática, rápida e segura. 

Em abril de 2020, 11 eventos foram disponibilizados em ambiente de validação e em dezembro, mais 11 eventos, totalizando todos os endpoints disponíveis para testes.

Após a publicação do ambiente de produção, passará a contar o prazo de 60 dias até a obrigatoriedade da norma.

Sua empresa já está preparada para a integração com a API-Recintos?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Port Community Systems será implementado no Brasil

Fique atento às mudanças do ADE 02

Indústria 4.0: entenda o conceito e as oportunidades que ela promove