05 motivos para implementar o Pix

Imagem
 Conheça os benefícios dessa ferramenta para sua equipe e clientes Aumento da eficiência dos serviços prestados, redução de burocracias e melhoria no atendimento ao cliente são algumas pautas que permeiam o dia a dia de empresas no setor logístico/portuário. A solução passa, muitas vezes, pela revisão dos processos e do uso da tecnologia como aliada para o desenvolvimento dessas soluções. Implementado pelo Banco Central em novembro do ano passado, o Pix é uma solução de pagamentos instantâneos que tem obtido bons resultados para diversas empresas, inclusive do setor portuário. O sistema permite transações financeiras em segundos e fica disponível 24 horas por dia e 7 dias por semana. É possível integrá-lo aos seus sistemas de gestão para que toda transação financeira tenha o Pix como alternativa. Mas, se você ainda não está convencido a integrar o Pix ao seu sistema financeiro, este artigo te dará mais 5 motivos para fazê-lo. Continue a ler. Sobre o uso do Pix Desde seu lançamento, em

Pandemia impulsiona digitalização no Porto

Especialistas explicam como a TI tem sido a principal aliada do setor portuário neste processo





Há anos que o assunto “Transformação Digital” permeia a pauta de grandes empresas, executivos e CIOs destas companhias.

No entanto, os desdobramentos da pandemia causada pela Covid-19 têm mudado o rumo de toda a indústria e mostrado que, mais do que nunca, a digitalização precisa estar em todos os processos.

A T2S Tecnologia, Soluções e Sistemas, desde 2003 projeta e desenvolve sistemas sob demanda para o setor portuário e somente em 2020 teve um aumento de 54% na demanda por projetos. Parte desse aumento, se deve à experiência da empresa, que já entregou cases de sucesso para mais de 140 clientes. No entanto, segundo os diretores da T2S, parte dessa demanda veio em decorrência da pandemia.

De acordo com o sócio-diretor, Rodrigo Salgado, o mundo todo experimentou uma enorme demanda por TI, que já era grande.  E, no caso do setor portuário, que não parou, houve Terminais que relataram um aumento da produtividade nas operações.

“A logística foi fundamental para manter os negócios funcionando. Muitos comércios que eram presenciais, começaram a trabalhar com e-commerce. E isso impulsionou o setor logístico que precisou demais da TI nesse processo”, comenta o sócio-diretor da T2S, Ricardo Pupo Larguesa.

Ainda de acordo com Larguesa, “As empresas já vinham passando por um processo chamado de transformação digital, quando elas começaram a adaptar processos para se comunicar com parceiros e a informatizar seus fluxos. De repente, houve uma aceleração nesse processo, e a TI virou um aliado nessa pandemia. Os funcionários passaram a trabalhar remotamente, dependendo de sistemas, de uma comunicação cada vez mais ágil”, aponta Larguesa.

Rodrigo Salgado, completa explicando que “o setor de TI experimentou no ano passado, um momento que colocou em prática tudo o que estava sendo conversado há 10 anos. A transformação digital que as empresas sempre discutiam e planejavam, que muito ficava no papel, foi colocada em prática em dois meses”, destaca.


Tendências

O investimento em tecnologia é necessário para o avanço e desenvolvimento das empresas. É natural que, conforme surgem necessidades ou novidades que otimizem o dia a dia das companhias, elas passem a investir na digitalização de seus processos.

No setor portuário não é diferente. Com uma movimentação de 286,4 milhões de toneladas no segundo trimestre de 2020, que representa um aumento de 7,9% em relação ao mesmo período do ano passado (FONTE: ANTAQ), a aposta está no investimento de tecnologias para agilizar a operação

E tal transformação acontece desde o atendimento às exigências rotineiras do governo, como a integração com o Portal Único, que visa agilizar e facilitar os processos de comércio exterior, até a automatização de processos, como a promovida por meio da inclusão do Pix como meio de pagamento das operações financeiras nos terminais portuários.

Este último, por exemplo, garantiu à BTP, maior terminal portuário da América Latina, um ganho de produtividade de 90% em relação ao processo sem automatização.

Confira o case!


“A gente brinca aqui na T2S com um chavão, uma máxima das empresas de TI, que sempre procura “apaixonados por tecnologia”. Na verdade, tem que ser apaixonado por resolver problemas das pessoas. A tecnologia é só um meio”, finaliza.

E é com este princípio, que a T2S já soma 300 cases de sucesso, que vão desde integrações, automatização de processos, até o desenvolvimento "do zero", de aplicações que facilitam o dia a dia das empresas do setor portuário.


Entre em contato conosco e conheça nossas soluções!


Leia também: Como integrar com a API do Módulo-Recintos do Portal Único da RFB (novo ADE 02)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Port Community Systems será implementado no Brasil

Fique atento às mudanças do ADE 02

Indústria 4.0: entenda o conceito e as oportunidades que ela promove