Visita na Record fala sobre 5G nos portos e alta demanda no mercado de TI

 Programa exibido no sábado (4) recebeu um dos diretores da T2S, Rodrigo Salgado

Divulgação


Para debater e abordar assuntos relacionados ao porto e a tecnologia, o programa Visita na Record entrevistou o engenheiro de computação, professor universitário e diretor da T2S, Rodrigo Lopes Salgado.


No programa exibido na Record TV Litoral, no sábado (4), Rodrigo Salgado falou sobre o 5G nos portos, a desestatização do Porto de Santos e a alta demanda no mercado de TI, que enfrenta problemas com a falta de mão de obra no setor. 

 

Sobre o 5G, Salgado mencionou como funciona a tecnologia nos portos, explicando a diferença entre a rede usada nos terminais e as de celulares e tablets. “No porto o 5G é uma solução privada, com a implantação de antenas proprietárias. O terminal compra antenas, instala dentro da área de alcance e só funciona dentro daquela rede, como se fosse uma nova operadora de celular.”


Com isso, a quantidade de equipamentos que ficam conectados em uma antena 5G aumenta, passando de 30-60 para milhares. “É desse ganho que falamos, da velocidade e quantidade de equipamentos nas antenas. Vários sensores conectados ao mesmo tempo sem impacto.”


Salgado citou também a parceria entre a T2S Tecnologia com a Nokia, que vai oferecer o 5G aos portos brasileiros.


Quanto à desestatização do porto santista, Salgado acredita que nunca se conversou tanto sobre o tema, afirmando que o principal benefício da privatização é a agilidade nos processos. “Se um contrato vencer, demora semanas, meses, quase um ano para discutir a renovação. A desestatização dará agilidade para as integrações e padronização de comunicação. Todos os portos no mundo que foram por esse caminho são casos de sucesso.”


Mercado de TI aquecido


Por atuar na área de Tecnologia da Informação (TI) e ser professor universitário, Salgado deu um panorama sobre a alta demanda no mercado de TI e os problemas com a falta de mão de obra.

O principal motivo para isso foi a pandemia, que acelerou o processo de transformação digital, até então, vista como algo que aconteceria a longo prazo. “Quando todo mundo começou a trabalhar de casa, a TI já estava pronta e isso fez com que houvesse uma competição maior por esse profissional que já estava em falta.”


Outros assuntos 


O diretor da T2S também pôde contar um pouco da história da empresa, que está há 19 anos no mercado e desenvolve softwares customizados para o setor portuário. Comentou também sobre as parcerias internacionais com empresas de países como Austrália, EUA, Alemanha, Holanda e Coreia do Sul.


Assista a entrevista:



Esse e outros vídeos podem ser encontrados no canal do YouTube. Acesse o link: https://youtu.be/3Zoj-88V838.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Atualização do Navis N4: o que fazer?

Data de obrigatoriedade da API Módulo-Recintos fica indefinida

Guia eletrônica de movimentação de contêineres: como a informatização contribui para o transporte de cargas