Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2016

Como lidar com a alta demanda no mercado de TI?

Imagem
 Diretor da T2S comenta problemática da demanda por profissionais de TI A pandemia acelerou a transformação digital nas empresas. Com isso, a demanda por profissionais de Tecnologia da Informação (TI) aumentou, e as companhias passaram a lidar com a falta de mão de obra qualificada. De acordo com a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais (Brasscom) , em 2019, o número de alunos formados era de 46 mil, enquanto que a demanda estimada para o período de 2019 a 2024 chegaria a aproximadamente 70 mil. Com isso, o estudo estimava um déficit potencial anual de 24 mil profissionais de TI. No entanto, somente para este ano, a expectativa foi de 56 mil novas oportunidades de trabalho criadas, enquanto que em 2020, já considerando a pandemia, a expectativa era de 43 mil novas vagas sem preenchimento. “Esse efeito é como aquela máxima de o mercado se regular entre a oferta e a procura. A demanda de novas vagas, sempre foi maior que a oferta

Santos Export 2016 debate melhorias na infraestrutura do Porto de Santos

Imagem
Aconteceu nos dias 19 e 20 de setembro de 2016 o Santos Export 2016: Fórum Internacional para Expansão do Porto de Santos. Iniciativa do Sistema A Tribuna de Comunicação, o evento foi realizado pela Una Marketing de Eventos e contou com a participação de autoridades e representantes de entidades de classe do setor portuário. O evento foi realizado no Mendes Convention Center. O evento ficou marcado pela pressão da opinião pública por soluções efetivas para os problemas estruturais do Porto de Santos. Novas Concessões no Setor Portuário Uma palestra sobre as novas concessões no Setor Portuário abriu o evento. O Secretário de Políticas Portuárias da SEP, Luiz Fernando Garcia da Silva, que é Presidente do Conselho de Administração da CODESP, falou sobre a projeção de crescimento do setor para justificar as novas concessões e expôs o plano de expansão. Foi enfatizado que o governo entende como “novas concessões” as renovações antecipadas de contratos já firmados. Em seguida Marco