Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2018

EDI no setor portuário: você sabe o que é?

Imagem
Com mercados cada vez mais competitivos, é comum que as empresas busquem formas de otimizar seu tempo e consequentemente melhorar sua produtividade. Neste sentido, o termo EDI tornou-se comum no setor de transporte e logística. Inclusive no mercado portuário.

A sigla, em inglês, é Electronic Data Interchange ou seja, intercâmbio eletrônico de dados.

Mas, na prática tem um significado mais abrangente. E, por isso, apesar de não ser um assunto novo, ainda é motivo de dúvidas. Os padrões EDI, layouts e sua adaptação à rotina dos terminais portuários, por exemplo, ainda dão dor de cabeça aos profissionais da logística. A fim de esclarecer o assunto, os especialistas da T2S – empresa especializada em soluções de software para o setor portuário – explicam o que é EDI no setor portuário com base na expertise adquirida ao atender demandas neste sentido.

O que é EDI?

Em resumo, estamos falando de uma troca eletrônica de informações. O objetivo do EDI é criar uma comunicação padronizada entre d…

Integração de sistemas do setor portuário: como funciona?

Imagem
Em grandes empresas, o uso de tecnologia é uma forma de otimizar tempo e, consecutivamente, aumentar a receita. Por isso as rotinas operacionais contam com um grande número de soluções tecnológicas que resolvem diferentes questões. Mas quanto maior é a empresa é também maior a complexidade desta infraestrutura. Por isso a integração de sistemas é algo cada vez mais comum no mercado.

É assim em grandes organizações de qualquer área, inclusive no setor portuário.

A T2S – empresa especializada em soluções de software para o setor portuário – atende esse tipo de serviço com frequência. E também é rotineiro receber dúvidas sobre o assunto. Por isso os especialistas explicam do que se trata a integração de sistemas do setor portuário.

Integração de sistemas do setor portuário

Essa é uma prática comum em todas as empresas. Mas é ainda mais constante entre armadores e operadores portuários, por exemplo. Isso porque é necessário trocar um grande volume de informações o tempo todo e, para que i…

Informatizar por quê: Vantagens da transformação digital

Imagem
O mundo está cada vez mais conectado e com tecnologias novas. Como consequência, o consumo e a forma de se comunicar mudaram, ou seja, empresas precisam atualizar seus processos para acompanhar seus consumidores e o ritmo do mercado como um todo. É assim em todos os cenários, inclusive no setor portuário.

Por isso, a automatização de serviços como TDR e DU-e, por exemplo, são essenciais para o bom funcionamento de um terminal.

Só para exemplificar o impacto da informatização para um operador portuário: o porto de Hamburgo, na Alemanha, tem projetos de dobrar a capacidade, sem nenhum aumento físico. Como? Com iniciativas que informatizam o máximo de suas funções. A estimativa é que até 2025, além de ter duplicado a capacidade, o porto também tenha reduzido custos internos e de seus clientes.

A fim de te ajudar a entender melhor esse cenário e como se adaptar, a T2S destaca neste artigo como fazer isso dentro da sua realidade.

Informatizar por quê?

Desde a virada do século, a tecnologia…

Personalize o seu agendamento de veículos com a T2S

Imagem
Com a finalidade de evitar horários de pico e garantir mais agilidade na recepção e entrega das cargas movimentadas, cada vez mais terminais adotam sistemas de agendamento de veículos em suas rotinas.

Afinal, o sistema pode, por exemplo: documentar todas as entradas e saídas e os parceiros do terminal (como transportadoras e despachantes) podem agendar a retirada/entrega de cargas.  Em outras palavras: evita-se filas e o trabalho de toda equipe é otimizado.

Como sabe-se que um produto pronto não irá garantir que 100% das necessidades dos terminais serão sanadas, uma vez que há muitas especificidades na operação de cada operador portuário, usualmente opta-se pelo desenvolvimento de um sistema próprio de agendamento integrado à operação do terminal.

Quem opta por um software próprio passa a ter um software com interface e funcionalidades totalmente pensadas para o terminal. Em outras palavras: é a garantia de ainda mais agilidade, otimização de tempo e atendimentos ainda mais eficiente…