Como lidar com a alta demanda no mercado de TI?

Imagem
 Diretor da T2S comenta problemática da demanda por profissionais de TI A pandemia acelerou a transformação digital nas empresas. Com isso, a demanda por profissionais de Tecnologia da Informação (TI) aumentou, e as companhias passaram a lidar com a falta de mão de obra qualificada. De acordo com a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais (Brasscom) , em 2019, o número de alunos formados era de 46 mil, enquanto que a demanda estimada para o período de 2019 a 2024 chegaria a aproximadamente 70 mil. Com isso, o estudo estimava um déficit potencial anual de 24 mil profissionais de TI. No entanto, somente para este ano, a expectativa foi de 56 mil novas oportunidades de trabalho criadas, enquanto que em 2020, já considerando a pandemia, a expectativa era de 43 mil novas vagas sem preenchimento. “Esse efeito é como aquela máxima de o mercado se regular entre a oferta e a procura. A demanda de novas vagas, sempre foi maior que a oferta

O Sistema de Desempenho da Navegação (SDN) da ANTAQ e seus benefícios para a Logística Portuária


Neste mês de outubro de 2018 a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) apresentou o seu Sistema de Desempenho da Navegação (SDN). A apresentação aconteceu na quinta, dia 4, em Brasília pelo Gerente de Regulação da Navegação Marítma, Rodrigo Trajano. o SDN é um sistema informatizado que tem por finalidade receber, pela internet, informações técnicas e operacionais sobre frotas das empresas brasileiras de navegação, suas atividades operacionais e preços.

O sistema foi submetido a uma fase de testes, disponibilizando o acesso ao módulo de apoio portuário para a iniciativa privada experimentá-lo. Assim, as empresas podem enviar sugestões de melhorias. O diretor-geral da ANTAQ, Mário Povia, pediu que o setor regulado envie sugestões para que a agência incremente a ferramenta tecnológica. E destacou que o objetivo do SDN é conhecer o setor e não controlar preços.

É uma excelente iniciativa. Porém espera-se que, diferentemente do que o módulo atual utilizado para serviços de transporte e travessia, haja uma interface de integração que permita que as empresas possam sincronizar os seus dados sem a necessidade de alocar funcionários para fazer essa tarefa manualmente. Isso porque a automatização garante consistência das informações (uma vez que a operação manual permite falhas humanas), agilidade no processo e evita custos adicionais com mão-de-obra. Empresas como a T2S podem ajudar a empresas de navegação nesse processo.

Vamos aguardar as novidades e torcer! 




Ricardo Pupo Larguesa é engenheiro da computação e MBA em Gestão Empresarial com ênfase em Negócios Internacionais. Professor do ensino superior e sócio da T2S, desenvolvedora de sistemas de logística portuária, é apaixonado por Tecnologia e por Operações Portuárias.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Port Community Systems será implementado no Brasil

Fique atento às mudanças do ADE 02

Atualização do Navis N4: o que fazer?