Já está preparado para integrar o Pix?

O sistema de pagamentos instantâneos ou Pix, marca criada pelo Banco Central foi lançada em fevereiro de 2020 e desde novembro está disponível aos usuários. 

É possível integrar o Pix aos seus sistemas de gestão para que toda transação financeira tenha o Pix como alternativa. Com isso, será possível não só reduzir os custos da operação, como também oferecer mais segurança e uma melhor experiência para seus clientes.



Sobre o Pix

Por meio de um serviço que fica disponível 24 horas por dia, sete dias por semana e todos os dias do ano, é possível realizar transferências monetárias em tempo real, diretamente da conta do usuário pagador para o usuário recebedor, sem necessidade de intermediário.

Como é um meio de pagamento bastante amplo, sua disponibilização permitirá não somente a melhoria em transações financeiras, mas também facilitar a automação de processos e a conciliação dos pagamentos, pois, por ser integrado, informações importantes para a transação poderão cursar junto com a ordem de pagamento.

Para as empresas, inclusive no setor portuário, seus benefícios incluem a segurança dos dados, redução de custos com transações e uma melhor experiência do usuário, garantida através da disponibilidade, facilidade e rapidez oferecidas pelo sistema. 


Integração

Já está preparado para integrar o Pix? Já considerou contratar uma consultoria especializada em TI para realizar o serviço?

A T2S, referência no desenvolvimento de soluções customizadas para os maiores terminais portuários da América Latina, oferece o serviço de integração com o Pix.

Pautada no desenvolvimento sob demanda, se consolidou como especialista na criação de soluções customizadas para atender às necessidades específicas de seus clientes. 

Sua equipe carrega a experiência de diversos cases de sucesso e o conhecimento aprofundado das regras de negócio do setor portuário.

Já são mais de 500 mil horas de programação e 100% de projetos entregues para mais de 140 empresas.



Saiba mais!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Atualização do Navis N4: o que fazer?

Data de obrigatoriedade da API Módulo-Recintos fica indefinida

Guia eletrônica de movimentação de contêineres: como a informatização contribui para o transporte de cargas