Leilões de terminais portuários devem gerar mais de R$700 milhões em investimentos

 


Após grandes expectativas, o leilão considerado um dos maiores do setor portuário em 20 anos pelo Ministério da Infraestrutura, foi concluído no último dia 19. Como resultado, apenas dois dos três terminais disponíveis foram leiloados, sendo um no Porto de Santos, litoral de São Paulo, e outro no Porto de Imbituba, Santa Catarina. 


Serão mais de R$ 700 milhões em investimentos e o Ministério da Infraestrutura afirma que o arrendamento garantirá quase R$ 1 bilhão em investimentos ao longo dos 25 anos, sem contar a geração de mais de 16 mil empregos.


Na sessão pública realizada pelo Ministério da Infraestrutura junto a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), o destaque foi a Petrobras, que levou um dos terminais santistas em proposta única, pagando R$ 558,2 milhões para a concessão da área STS08A, na Alemoa, válida por 25 anos.

O local com 297.349 metros quadrados é destinado à movimentação, armazenagem e distribuição de granéis líquidos (combustíveis). O investimento previsto durante a vigência do contrato é de R$ 678,3 milhões, além de outros R$ 1,3 bilhão, que serão usados pela empresa em gastos operacionais.


O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, informou que o arrendamento dessa área para a Petrobrás deve ajudar no processo de privatização do Porto de Santos, que está em estágio avançado e deve ocorrer no primeiro trimestre do ano que vem.


Sem propostas

Embora um dos terminais de Santos tenha sido arrendado, as propostas frustraram um pouco o mercado, que esperava leiloar as três áreas oferecidas. Isso porque a área STS08 do porto santista, também voltada à movimentação, armazenagem e distribuição de combustíveis, não teve nenhuma empresa interessada. Nem mesmo a Petrobras apresentou proposta, alegando que STS08A já reunia todas as características necessárias para as operações da empresa petrolífera.


A intenção era receber R$ 260,6 milhões para a melhoria do terminal de 168.324 metros quadrados. Como não houve propostas, o terminal permanece administrado pela Transpetro, empresa subsidiária da Petrobrás. 


Uma análise será realizada pelo governo federal para entender o motivo de não existir interessados na área STS08 de Santos. Assim que o estudo for concluído, um novo leilão será lançado, até o momento sem previsão de data.

Santa Catarina



Já no Estado catarinense, a empresa Fertilizantes Santa Catarina Ltda, levou a área a IMB05 do terminal de Imbituba, com valor de outorga de R$ 200 mil e validade de concessão de dez anos.


O complexo portuário movimenta granéis líquidos combustíveis ou químicos, provenientes principalmente de Maceió, em Alagoas, para abastecer empresas da Região Sul.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Data de obrigatoriedade da API Módulo-Recintos fica indefinida

Receita Federal muda novamente data de obrigatoriedade da API Módulo-Recintos

Atualização do Navis N4: o que fazer?